quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Ouça no volume máximo #5

          Olá amigos, não sei quanto a vocês, mas eu já estava com saudades desta seção, afinal curto muito Legião Urbana :) Hoje esmiuçaremos o quinto álbum da banda, o preferido de Renato Russo e Marcelo Bonfá. Porém antes reitero que a matéria aqui apresentada é um breve resumo de informações coletadas em livros, revistas e internet (os créditos são sempre citados ao final do texto).

Legião Urbana "V"
Período de gravação: outubro a dezembro de 1991
Data de lançamento: 15 de dezembro de 1991
Produzido por: Mayrton Bahia (EMI)

          Compor V, o primeiro trabalho da Legião a sair direto em CD não foi fácil. O clima estava pesado não somente por conta de problemas extramusicais (pessoais ou nacionais), mas, sobretudo pela pressão do jogo fonográfico. Afinal este seria um disco com a responsabilidade de substituir o ‘arrasa quarteirão’ As quatro estações (e o trio tinha pavor de se repetir).

Legião Urbana V
          O álbum foi concebido meticulosamente para causar estranheza, não só à primeira, como em qualquer outra audição. É o disco mais triste e talvez por isso mesmo um dos mais belos do rock nacional.
          Ali estão as melhores letras, Renato tinha o cuidado de escrever canções atemporais e perenes : “...me preocupo em fazer um texto que daqui há 200 anos, se a pessoa pegar, não precisará de nota de rodapé”, explicava ele.
          A turnê de lançamento do quinto álbum foi a mais bem preparada. Fora cuidadosamente pensada para soar como uma ópera. Os melhores equipamentos, de som, luz e efeitos foram adquiridos. Até um grande cenário com cortinas negras que abriam e fechavam foi planejado. Uma super produção. Tudo verificado pessoalmente por Renato. E os ensaios não eram apenas meros ensaios, mas sim uma ‘criação constante’!
          Porém o que era para ser uma apoteose transformou-se num sofrimento coletivo. Pois Renato enveredara por uma fase perigosa, se autodestruíndo, bebendo pesado e se drogando (nessa ocasião já havia descoberto ser portador do vírus da AIDS). E a turnê foi precocemente encerrada em Natal, no Rio Grande do Norte, apenas um mês após o seu início.


Curiosidades:

♫No início dos anos 90 passou a tocar nas rádios quatro canções que confundiram muita gente. A voz do vocalista (Vinícius Gussen) era bastante parecida com a de Renato Russo. Na realidade não se tratava de um imitador ou um cover da Legião, mas uma banda chamada ID, lançada pela gravadora independente ‘Polvo’ e que estourou com os sucessos “Dignidade” e “Coisas do inverno”.
O grupo ID sumiu do cenário pop rock, no entanto tentaram, sem muito sucesso, um retorno em 1999. O curioso (e lamentável) é que ainda hoje há sites na Internet divulgando estas canções como sendo ‘áudios raros’ do Renato (da época do Aborto Elétrico). No Youtube é possível encontrar vídeos com algumas músicas da banda, confiram clicando nos nomes: Dignidade e Coisas do inverno.

♫Quando estava internado em uma clínica de recuperação em Botafogo (1990), Renato chegou a colocar fogo na instituição, como forma de protesto contra a proibição de tocar violão para os outros pacientes em uma comemoração de fim de ano;

♫Renato descobriu que realmente era portador do HIV quando ainda estava internado na clínica. Ao saber do resultado, ele e Rafael Borges, empresário da Legião, combinaram segredo. Assim, praticamente até seu desencarne, seis anos depois, o silêncio foi mantido. Um número limitado de pessoas conheciam a verdade: o pai, Rafael, Dado, Marcelo e a amiga Denise Bandeira;

♫Renato Russo era um artista 24 horas por dia. Segundo sua amiga Denise, “após a temporada de angústia e desespero (descoberta da AIDS), ele iniciou uma fase meio mística, que resultou num verdadeiro renascimento profissional e artístico”;

♫”Metal contra as nuvens”, uma suíte em quatro partes e mais de 11 minutos era sobre o presidente Fernando Collor;

♫”Love song”, na realidade era uma cantiga de amor do menestrel português Nuno Fernandes Torneol, do século XIII (época das cruzadas) e é cantada em galego português;

♫A música ”A Ordem dos templários” incluía “Douce dame jolie”, do francês Guillaume de Machaut, do século XIV. Essa ordem era uma organização religiosa, fundada por monges logo após a 1ª Cruzada, com o objetivo de defender os peregrinos que iam à Terra Santa. Esses monges ficaram conhecidos principalmente por sua honra e habilidade em não revelar segredos;

♫A introdução de “Teatro dos vampiros” cita o famoso Cânon, do alemão Johann Pachelbel, do século XVII;

♫”Come share my life” é do folclore americano;

♫”O mundo anda tão complicado” era a música mais pedida nos shows durante a turnê do disco;

♫A canção mais linda e triste do álbum versa sobre (des)amor: “Vento no litoral”;

♫Segundo o próprio Renato, “A montanha mágica” tinha a melhor letra sobre drogas já escrita em nossa língua. Já a melodia era de autoria de Dado;

♫”Sereníssima” é um rock progressivo;

♫”L’âge D’or” (tradução: a idade do ouro), único rock pesado do disco, tem um trecho que diz: “...lá vem os jovens gigantes de mármore trazendo anzóis na palma da mão...”, que seria uma alusão a banda Young Marble Giants (1978/1981), de quem Renato era fã;

♫A inscrição no encarte do CD "Bem vindo aos anos setenta" faz referência aos principais ganchos sonoros do disco: passagens acústicas de rock progressivo e rompantes de hard rock;

A Legião Urbana jamais banalizava suas apresentações ao vivo e só as fazia se pudessem encaixar-se num projeto artístico que visasse à preservação da obra a logo prazo (tocar num festival como Hollywood Rock, nem pensar!).

♫Acontecia certas vezes do empresário da banda receber propostas de algum papai abonado, para que a banda tocasse na festa de 15 anos de sua filha e fã. O que jamais realizou-se.
 
Crédito dos textos:
Livro ‘Renato Russo’ de Arthur Dapieve da série Perfis do Rio;
Extinta home-page www.legiaonaveia.com.br de Michel Zylberberg;
Site Geração Coca Cola;
Revista Bizz


Dado Villa-Lobos (guitarras e violões), Renato Russo (vocal, teclados, violões e letras) e Marcelo Bonfá (bateria e percussão)

1-Love song
2-Metal contra as nuvens
3-A ordem dos templários
4-A montanha mágica
5-O teatro dos vampiros
6-Sereníssima
7-Vento no litoral
8-O mundo anda tão complicado
9-L’âge d’or
10-Come share my life

5 comentários, é um milagre!

Emerson Fialho disse...

Muito massa, meu amigo!
Legião é Legião...

Abração e sucesso!

Tatiana disse...

Como é bom ler mais a respeito dessa Banda maravilhosa. O Renato era um grande poeta!
Gosto de fazer a leitura das letras de suas canções e apreciar a forma como ele sabia dar vida as emoções.
Obrigada Milton por partilhar essa riqueza.

Um abraço carinhoso

Tatiana disse...

Meu Amigo... Vou compartilhar com você uma música linda de uma banda que eu adoro. Você já deve conhecer... A voz do vocalista também lembra muito a do Renato:

http://www.youtube.com/watch?v=NyeM34xq5I8&feature=player_embedded

Inté...

Emerson Fialho disse...

Fala, grande amigo Milton...
Realmente, estava envolvido na ilustração de um livro paradidático... Por isso a demora para postar, camarada. Eu o entreguei esta semana e estou dando uma pausa para começar coutro; daí fiz estas ilustras.

Obrigado pelos comentários e elogios. Fica com Deus e abraço fraterno.

Emerson Fialho.

Matheus Espindola disse...

corrigindo seu último comentário a legião tocou em uma festa de 15 anos sim.. foi em maio de 1985 em brasilia em uma casa na região do lago sul.

Related Posts with Thumbnails