domingo, 24 de outubro de 2010

Ouça no volume máximo #4

                Depois dos desenhos esta é a parte que mais curto no blog: Legião Urbana, yeah! E hoje de modo especial, pois exploraremos o álbum que tem minha canção preferida: “Marurício”. Lembrando que o texto abaixo é um breve resumo de informações coletadas em livros, revistas e internet. Os créditos são citados ao final.

As Quatro Estações
Período de Gravação: agosto a outubro de 1989
Data de lançamento: 26 de outubro 1989
Produzido por: Mayrton Bahia (EMI)

                Em 1988 Renato Rocha sai do grupo, e agora como um trio, a Legião Urbana começa a preparar o material para a gravação de seu quarto álbum: "As Quatro Estações" que consagraria definitivamente a banda como uma das melhores do rock nacional.

As quatro estações Legião Urbana por Milton Kennedy

                Com um álbum equilibrado, onde praticamente todas as canções viraram sucesso, este trabalho iniciou uma nova fase para a banda. A fúria do disco anterior (“Que país é este”) deu lugar a assuntos espirituais e sentimentais. A religiosidade, no sentido mais amplo desta palavra, toma conta de todas as faixas. Há menções desde Buda, Tão-te-king, Lao-Tsé, Jesus, São Paulo, à Luís de Camões.
                Além das referências religiosas (“Monte Castelo”, “Quando o sol bater na janela do teu quarto”), confissões íntimas (“Maurício”), ou ambas as coisas (“Se fiquei esperando meu amor passar”), o disco ainda fala de temas como a AIDS (“Feedback song for a dying friend”), homossexualismo (“Meninos e meninas”,) mas sem deixar de lado a crítica como em “1965-Duas tribos”.
                Neste álbum a Legião Urbana canta a lealdade, a nobreza, o carinho, a amizade e, sobretudo o AMOR, a mais “encantadora” das virtudes. Com tudo isso, “As quatro estações” é apontando até hoje como uma das melhores obras primas da música nacional. De cara foram vendidos 450 mil cópias, tiragem que dobraria anos depois, e atualmente ultrapassou a marca de 2 milhões (a maior vendagem na carreira da Legião). O hit “Pais e filhos” tornou-se um dos maiores sucessos da indústria fonográfica de todos os tempos.

                Ouça abaixo “Sete Cidades” com um arranjo diferente:


Curiosidades:
♫ Em 2000, o compositor pernambucano e ex cabo da marinha, Erivaldo Bezerra dos Santos, provou judicialmente que a Legião Urbana apropriou-se da melodia de uma de suas obras (“Passado” registrada em 1978) e a utilizou no ‘mega sucesso’ do álbum "As Quatros Estações". A ação havia sido proposta originalmente em 1992, porém somente oito anos depois é que um laudo pericial comprovou o plágio;

♫Ao contrário do que foi anunciado na época, a saída do baixista Renato Rocha (Negrete) não foi tão “tranqüila”. Os reais motivos foram seus constantes atrasos, ausências às gravações e a exigência de adiantamentos para compra de carros e motos;
 
♫Com a saída de Negrete, os três decidiram regravar tudo o que o baixista já havia gravado. Por pirraça mesmo, pra não sobrar nem um crédito para ele;
 
♫Foram 16 meses, entre concepção, gravação, REGRAVAÇÃO, mixagem e lançamento de ”As quatro estações”;
 
♫ “Desiderata”, uma antiga inscrição que se encontra na Saint Paul's Church (Igreja de São Paulo), em Baltimore, EUA, datada de 1684, serviu de tema para a canção “Há Tempos”;
 
♫Se antes, em “Soldados” ou em “Daniel na cova dos leões” havia referências veladas ao homossexualismo, é em “Meninos e meninas” que Renato Russo fala abertamente sobre sua opção sexual;
 
♫Mas foi em junho de 1990 que o vocalista assume pela primeira vez sua homossexualidade (em entrevista a revista Bizz), “eu estava precisando me assumir há muito tempo...é muito difícil viver numa sociedade em que você é um pária”, dizia ele;
 
♫Os fãs, cada vez mais fervorosos, acompanhavam cada passo da carreira de Renato Russo, e faziam um trocadilho com o nome da banda ‘Religião Urbana’, fato que incomodava profundamente o cantor, pois repulsava essa idéia;
 
♫O desenho estilizado do violão que aparece na capa do CD está invertido (quem tem o vinil pode conferir). Muito sutilmente este violão sugere as letras L e U;
 
♫Nas apresentações ao vivo, a banda sempre surpreendia o público com arranjos totalmente diferentes do disco, “Sete Cidades” por exemplo ficou belíssima em forma de balada;
 
♫As inserções de trechos de canções dos Beatles, Roling Stones, Elvis Presley entre outros, nas músicas da banda era uma constante que fazia a platéia delirar;
 
♫ “Feedback Song for a Dying Friend” era pra ser chamada ‘Rapazes Católicos’. Inicialmente sua letra falava sobre a influência e o domínio de certas religiões. Foi concebida na época em que o escritor britânico Salman Rushdie escreveu o livro Versos Satânicos. Este literato teve sua sentença de morte proclamada pelo líder muçulmano, Aiatolá Khomeini, que considerou o livro ofensivo para a religião islâmica. No entanto a irmã de Renato Russo, Carmem Teresa, opinando, não gostou do tema. Renato aproveitou então a melodia com o trecho árabe e colocou a letra de Feedback Song for a Dying Friend que é de 1985.
 
♫ A partir deste disco, e dos incidentes em Brasília (1988), o grupo começou a afastar-se dos palcos;



Crédito dos textos:
http://www.legiaonaveia.com.br de Michel Zylberberg;
http://www.geocities.com/legiaolegiao de Fernando Ribeiro Ramos;
http://www.osoprododragao.com
Livro ‘Renato Russo’ de Arthur Dapieve da série Perfis do Rio;

Dado Villa-Lobos (guitarras, baixo, bandolim, e violão), Renato Russo (vocal, baixo, teclados, violão e letras) e Marcelo Bonfá (bateria, percussão, bass-drum, gaita e percussão).
1-Há tempos
2-Pais e filhos
3-Feedback song for a dying friend
4-Quando o sol bater na janela do teu quarto
5-Eu era um lobisomem juvenil
6-1965 (Duas tribos)
7-Monte Castelo
8-Maurício
9-Meninos e meninas
10-Sete Cidades
11-Se fiquei esperando meu amor passar

2 comentários, é um milagre!

J.M. disse...

Só uma pequena observação: o termo "homossexualismo" dá ideia de que a condição sexual é um distúrbio ou doença, o termo mais adequado é homossexualidade. E a expressão "opção sexual" refere-se à homossexualidade como algo que se pode escolher, como se a pessoa pudesse decidir entre ser homo, bi ou heterossexual, o que não é possível. Ninguém escolhe a condição sexual que tem.

Milton Kennedy disse...

Saudações J.M., obrigado pela oportuna observação.
Cordial abraço, saúde e paz.

Related Posts with Thumbnails